LHLN_Thumb
19.ABR.17 - 16:20

A atração FATAL do teatro universitário

Vêm do país e do estrangeiro para atuar no maior festival de teatro universitário do país. O FATAL está de volta a Lisboa em maio, para a sua 18.ª edição, e em cartaz estão incluídos 30 espetáculos e 50 eventos.

O FATAL – Festival Anual de Teatro Académico de Lisboa está de volta, entre 25 de abril e 13 de maio. A iniciativa vai decorrer em vários locais da Universidade e da capital e o programa integra a apresentação de espetáculos em competição, fora de competição e convidados.

A competição arranca a 26 de abril, na Rua das Gaivotas 6, com a peça “As Cousas” do Círculo de Iniciação Teatral Académico de Coimbra (CITAC), que conta com encenação de Leonor Barata. O concurso prossegue dia 28 com a apresentação de “A Tentação”, da autoria de Susana Vidal, representando o Novo Núcleo de Teatro da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Nova de Lisboa.

Dia 29 de abril é a vez do Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra, o grupo de teatro universitário mais antigo do país, que vai concorrer com o espetáculo “Amígdala”. A peça é uma obra da autoria de Cláudio Vidal, vencedor do concurso “Palco a Novos Encenadores”.

A 2 de maio o Teatro Comuna vai ser palco de uma “Revolução”, peça encenada por Júlio Martin da Fonseca e apresentada pelo Teatro Académico da ULisboa. No dia 3, no Caleidoscópio, o FC-Acto, da Faculdade de Ciências da ULisboa, concorre com “Uma conversa (breve) contemporânea” de A. Branco.

O Auditório do Refeitório I dos SASUL (Cantina Velha) vai receber dois espetáculos: a 4 de maio Freak Show, da autoria do TUTRA, Grupo de Teatro da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e dia 6, Santuário, apresentado pelo Ultimacto, grupo de teatro da Faculdade de Psicologia da ULisboa.

O FATAL integra ainda um programa com vários espetáculos, fora de competição, intitulado “Mais FATAL”. Este ciclo contempla quatro peças, e inclui conversas pós-espetáculo com atores e grupos artísticos. Destaque para a presença do Teatro da Academia, do IP Viseu, que apresenta “Júlia”, a partir de textos de Froken Julie de August Strinberg.

Finalmente, a “mesa dos convidados” vai abrilhantar ainda mais o cartaz do festival lisboeta. Em 2017, o “FATAL Convida” a Katharsis, Grupo de Medicina de Madrid, o grupo Gabriella Giffosi, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o “MalaEstirpe”, proveniente da Universidade de Castilla-La Mancha, “Maricastaña”, da Universidade de Vigo, entre muitos outros grupos portugueses.

Facebook Twitter